domingo, 5 de agosto de 2012

Quando acordo (Caio S.C.)


E assim que a de ser,
A cada dia morre um eu,
Um ser,
Que não voltará jamais a viver,
A antiga vida.
Mas o novo também voltará a morrer.
E ainda sim,
Sigo vivo.

(Caio S.C.)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget