quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Trabalho de Filosofia 09/011/2011 Profº Marcelo


Critica Filosofica (ou não) sobre o poema "Deus é Triste" do Drummond.
Deus TristeDeus é triste. 

Domingo descobri que Deus é triste 
pela semana afora e além do tempo. 

A solidão de Deus é incomparável. 
Deus não está diante de Deus. 
Está sempre em si mesmo e cobre tudo 
tristinfinitamente. 

A tristeza de Deus é como Deus: eterna. 

Deus criou triste. 
Outra fonte não tem a tristeza do homem. 

Carlos Drummond de Andrade, in 'As Impurezas do Branco'

















O ser divino, criador do tudo, aquele que veio do nada, ou de si mesmo. Este é Deus.
A filosofia, assim como todo ser pensante, que usa seu tempo de vida para tentar descobrir explicações para tudo, Deus, o começo de tudo, o meio e seu fim. Os religiosos vêem em Deus as respostas para tudo, pois ele é onipresente, onisciente e onipotente. Porem, o poema nos faz pensar sobre a outra faceta de um Deus, seus Sentimentos, no caso, a absoluta tristeza.
A tristeza de Deus justifica nossa criação, pois quando não se esta feliz se procura algo que o faça, algo que distraia, assim, o ato repetido –ou criado – por Deus, a distração na criação.
Porem, a idéia sobre Deus não remete somente ao mesmo, tirando “superficialidade profunda” da questão, se trata mesmo de algo humano, do sentimento, mas de um sentimento de um Deus. Assim, o autor pôs em ênfase a tristeza do ser humano, que não sabe de onde veio, porque veio, nem pra onde vai, vivendo um pouco da eternidade com uma ambigüidade sobre seu “futuro”, e Deus se torna o conforto para essa aniquilação da vida, da existência, de tudo.
                                                                                                                                             Caio S.C.

Deus não pode ser triste, ele devia estar extasiado com seus dias de criações, pois a tristeza é uma criação humana, é coisa de alma pequena, e Deus, é o senhor das Almas, mas, pessoas de alma pequena vão se matando  e matando o senhor das almas, pouco a pouco.
Como Deus estaria triste com criações belíssimas?  Com o universo, nosso planeta, grandes florestas, e vidas complexas. No máximo tristeza passageira, e essa tristeza é advinda de nós, os seres humanos, não por nossas falhas, mas sim por uma persistência no erro, pois Deus não compreende o erro, porque não é uma de suas criações, e nem a teimosia.
Se Deus ficar triste, ele irá se apegar a quem? Aos humanos, o símbolo da imperfeição, ou aos animais inocentes e não inteligentes?
A tristeza de Deus não é eterna como o próprio, pois Ele é felicidade e inspiração eterna, então, eu o chamaria de “Felicifinitamente” e “Eterna inspiração”.
                                                                                                                                      Rennan W.M.C.

Sem medo professor, comenta aqui, senta o sabugo. (Não literalmente ok)
huahauhauahauhauahuahauhau.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget